NOTÍCIAS
Brasil está entre os quatro maiores do mundo em troca de tráfego na Internet
Por: Por Roberta Prescott* - 19/04/2018

O Brasil está nas 50 maiores rotas de internet e tem o maior Internet Exchange do mundo em número de participantes. O IX.br teve um crescimento de tráfego de 79% em 2017 e aumento de 27% de participantes em 2017. Em palestra na Convenção Abranet 2018, que acontece na Bahia, Milton Kaoru Kashiwakura, do NIC.br, destacou que o País também é número um da América Latina em troca de tráfego internet e está entre os quatro maiores do mundo, tendo tido pico de 3,5 Tbit/s e média de 2,4 Tbit/s.

"Estamos galgando posições, hoje com pico de 3,5 3,5 Tbit/s. Se dobrarmos a capacidade seremos o número um do mundo", disse. Kashiwakura acredita no crescimento, uma vez que espera que companhia com alta geração de tráfego, como a Apple, entre como participantes. "Estamos esperando que a Apple chegue algum dia aqui e o tráfego dela em outros países é razoável. A entrada de grandes participantes pode aumentar a quantidade de tráfego", explicou.

O crescimento do IX.br também virá do aumento de participação dos sistemas autônomos (AS, na sigla em inglês). Atualmente, 76% dos maiores AS estão presentes. Na comparação mundial, o valor cobrado no Brasil ainda está mais caro que países europeus. Mostrando uma análise da Telegeography, Kashiwakura apontou que, enquanto o preço médio praticado em São Paulo está em US$ 6 o mega para porta de 10 gigabits, em Amsterdam o preço é de US$ 0,54 e em Frankfurt de US$ 0,62.  

Na palestra, Kashiwakura também revelou que não haverá congelamento durante todo o período da Copa do Mundo, como ocorreu em 2014, quando o NIC.br congelou pedidos de novos ingressantes e de aumento de capacidade desde 30 dias antes da primeira partida da Copa e foi até o fim do evento. Neste ano, o congelamento ocorrerá apenas nos dias nos quais o Brasil jogar. "Vimos que a nossa infraestrutura funciona bem durante todo o ano e não há sentido fazer o congelamento durante toda a Copa", disse.

Outro tema abordado foi a pouca quantidade de sistemas autônomos na região da América Latina. São 7.942 AS, somente atrás da África e bastante longe do total 37.985 da região europeia. Na AL, o Brasil domina, tendo 5.628 AS — a Argentina tem 855 e o México tem 371.  

IX.br Fortaleza

A estrutura de Fortaleza existe desde 2009, tendo começado pela ETICE e começado no mesmo ano da entrada do Google no IX de São Paulo e a chegada dos cabos submarinos. Em 2012, houve melhoria na infraestrutura de datacenter e, em 2017, a Netflix entrou no IX.br de Fortaleza.

Kashiwakura explicou que o IX de Fortaleza tem um grande potencial. Não por acaso foi apresentado projeto para fazer uma ação na Praia do Futuro, local onde chegam os cabos submarinos. A ideia, explicou, é fazer anel na Praia do Futuro e facilitar a presença de cabos submarinos para que o ponto de troca de tráfego de Fortaleza melhore em termos de atratividade. Além disto, há um trabalho para aumentar a quantidade de PIXs para ter mais opções.

Entre os previstos estão Eletronet, Commcorp, Globenet, Ascenty e Telebras. "A tendência é ter as empresas de datacenter conectadas ao IX de Fortaleza. Acreditamos que Fortaleza passe a ser um local facilitador para a presença de vários conteúdos e serviços de internet", completou. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
23/04/2018
23/04/2018
23/04/2018
23/04/2018
19/04/2018
19/04/2018
18/04/2018
18/04/2018
EDIÇÃO 25
agosto-outubro 2018
Ordenar o uso e organizar o compartilhamento das infraestruturas aérea e terrestre são medidas imperativas para as empresas de energia, telecomunicações e de internet. E muito mais...
VEJA MAIS EDIÇÕES


Copyright © 2018         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital