Publicada em: 21/02/2019 às 08:13
Notícias


Conexões de Internet das Coisas chegam a 4 bilhões em 2022
Roberta Prescott

A conexão máquina a máquina e a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) se intensificarão nos próximos anos à medida que mais países e verticais de negócio amadurecem para sua adoção. O estudo Mobile Visual Networking Index (VNI) 2019 mostrou que, em 2022, serão mais 4 bilhões de conexões IoT globalmente, um crescimento de quatro vezes no período de 2017 a 2022. Neste ano, a expectativa é alcançar 1,8 bilhão e, no ano que vem, chegar a 2,4 bilhões,

A Ásia-Pacífico respondia pela maior fatia das conexões em 2017 e seguirá como a maior região em 2022, seguida da América do Norte e Oeste europeu, com praticamente a mesma fatia do mercado, Europa Central e do Leste, Oriente Médio e América Latina. Em termos de crescimento, a América do Norte apresenta o maior CAGR — 36% —, enquanto a América Latina registra o menor: 28%.  

O tráfego móvel a partir de módulos M2M passará de 216 MBs ao mês em 2017 para 448 MBs em 2022, na média global. Os chamados de dispositivos não-smartphones e que não se enquadram como módulos M2M responderão por 224 MBs ao mês em 2022, um salto em comparação aos 50 MBs de 2017. Por verticais de negócio, a casa conectada lidera em absoluto como tendo o maior número de conexões M2M e IoT.

Para Giuseppe Marrara, diretor de políticas públicas da Cisco, as operadoras estão avaliando e identificando como podem monetizar melhor o ecossistema de IoT e como conquistar um espaço maior neste segmento. “O grande valor de IoT não está em coletar o dado, mas na capacidade de analisá-lo, na inteligência por trás”, afirmou.  


Powered by Publique!