Publicada em: 19/06/2017 às 15:37
Notícias


IoT é mercado em potencial para provedores de Internet
Roberta Prescott

Há oportunidades de negócio para os provedores de Internet na área de internet das coisas (IoT, na sigla em inglês), de acordo com Anderson Figueiredo, analista de mercado de TIC, que palestrou na Convenção Abranet 2017, realizada na Praia do Forte (Bahia) de 13 a 15 de junho. Ainda em fase inicial no Brasil, espera-se que o mercado para IoT movimente de bilhões de dólares nos próximos anos. No entanto, de quem as empresas irão comprar soluções de internet das coisas permanece uma pergunta sem resposta definida.

“Uma dúvida básica do mercado é o perfil ideal do fornecedor. Que tipo de empresa [o comprador] deveria procurar? É com quem vende Internet, com quem faz sensor, com quem sabe integrar com os sistemas? Será de um monte de gente ou de um só?”, pontuou o especialista. É nesta seara que reside uma janela de mercado para os ISPs, uma vez que eles são responsáveis por algo essencial em IoT: a conectividade. Além de rede e conectividade, soluções de internet das coisas precisam contemplar análise de big data (para transformar os dados coletados em informação) e sensores e dispositivos.  

A aplicabilidade de IoT é muito grande. A recomendação de Figueiredo é que provedores de Internet trabalhem em conjunto com outras empresas para estruturar uma oferta. Como não entendem de sensores, precisam buscar empresas especializadas não apenas nisto, como também firmar parcerias com empresa que faz integração de IoT com os sistemas corporativos. “IoT é outro mundo, outra proposição. Tem de pensar diferente; e, neste momento, é uma grande possibilidade de negócio”, disse, acrescentando que o agronegócio é o mercado que mais cresce em internet das coisas no Brasil.

Para Anderson Figueiredo, a internet das coisas pode ser o grande acelerador de análise big data, uma vez que os sensores fornecem dados estruturados, que, por sua vez, depois de tratados transformam-se em informações importantes para o negócio.  “Fica mais fácil se o próprio elemento trouxer o dado que correr atrás o tempo todo. A aplicabilidade, o que vou fazer com isto, é de cada um”, disse.

Após a apresentação, o analista de mercado concedeu entrevista em vídeo à Abranet. Confira a íntegra: 


Powered by Publique!