NOTÍCIAS
Kaspersky culpa web skimmers pelo aumento da diversidade de malware
Por: Redação da Abranet - 28/01/2020

No ano passado, o número de objetos maliciosos únicos detectados pela tecnologia de proteção na nuvem da Kaspersky aumentou 13,7% na comparação com 2018, atingindo a marca de 24.610.126 variantes. De acordo com a empresa, esse crescimento foi afetado principalmente por um aumento de 187% nos ataques de web skimmers, golpe que rouba dinheiro durante transações e pagamentos online. 

Outras ameaças, como backdoors e trojans bancários detectados, também aumentaram, enquanto a presença de mineradores caiu para menos da metade. Essas tendências demonstraram uma mudança nas táticas de infecção usadas pelos cibercriminosos, que buscam formas mais eficazes para atingir suas vítimas. Os dados constam do relatório ‘Boletim de Segurança da Kaspersky: estatísticas do ano’. 

Em 2018, segundo a Kaspersky, os objetos maliciosos únicos (que incluem scripts, exploits e arquivos maliciosos executáveis) detectados pelo Kaspersky Security Network totalizaram 21.643.946 (em 2019, o número foi de 24.610.126). O crescimento foi motivado por dois vetores de ataques: o aumento do número e da diversidade de páginas HTML e scripts que carregam dados ocultos, normalmente usados por anunciantes inescrupulosos, e, particularmente, o crescimento dos web skimmers, que são scripts incorporados por atacantes em lojas virtuais para roubar dados de cartões de crédito dos usuários do site.

O crescimento das variantes únicas de web skimmers (scripts e HTML) detectados pela tecnologia em nuvem da Kaspersky foi de 187% e atingiu 510.000 registros. Além disso, o número de ataques desta ameaça cresceu cinco vezes (523%), totalizando 2.660.000 detecções em 2019. Os web skimmers ficaram entre os 20 principais objetos maliciosos detectados, ficando em 10º lugar na classificação geral. A parcela de novos backdoors e trojans bancários também aumentou em 134% e 61%, respectivamente, alcançando 7.644.402 e 739.551 detecções.

Queda 

Por outro lado, o número de URLs maliciosas únicas detectadas pela Kaspersky caiu pela metade em comparação com 2018 (50,5%), saindo de 554.159.621 para 273.782.113 registros. Essa mudança se deveu, segundo a Kaspersky, em grande parte, à redução significativa de web mineradores ocultos, embora ainda possam ser observadas muitas detecções relacionadas a eles (incluindo Trojan.Script.Miner.gen, Trojan.BAT.Miner.gen, Trojan.JS.Miner.m) dentre as 20 principais ameaças de malware web.

A presença de programas que geram criptomoeda secretamente nos computadores dos usuários (chamados de mineradores ‘locais’) também diminuiu regularmente durante o ano: o número de computadores com tentativas de instalação de mineradores mal-intencionados caiu 59%, passando de 5.638.828 para 2.259.038.

O estudo ainda indicou também que 85% das ameaças web foram detectadas como URLs maliciosas - este termo é usado para identificar links que fazem parte da lista de bloqueio da Kaspersky. Isso inclui endereços web que contêm redirecionamentos para exploits, sites com exploits e outros programas maliciosos, centros de comando e controle de botnets, sites de extorsão e outros.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
23/09/2020
21/09/2020
09/09/2020
31/08/2020
25/08/2020
01/07/2020
09/06/2020
15/05/2020
17/04/2020
31/03/2020


Copyright © 2014-2020         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital