NOTÍCIAS
Privatização das Telecomunicações completa 20 anos
Por: Redação Abranet* - 30/07/2018

A privatização das telecomunicações no Brasil completou 20 anos no dia 29 de julho. Um ano antes da privatização, em 16 de julho de 1997, foi criado o marco regulatório do setor de telecomunicações, a Lei Geral de Telecomunicações (LGT). Ela determinou que seu órgão regulador, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), organizasse os serviços com base no princípio da livre, ampla e justa competição entre todas as prestadoras, devendo o Poder Público atuar para propiciá-la, bem como para corrigir os efeitos da competição imperfeita e reprimir as infrações da ordem econômica.

A LGT foi promulgada no contexto da quebra dos monopólios estatais, seguindo um modelo regulatório que fez parte do quadro de reforma do Estado. Com ela, iniciou-se no Brasil a reorganização de serviços de telecomunicações que passaram a ser prestados no regime público, no regime privado e, também, concomitantemente nos dois regimes.

A cisão parcial da Telebrás resultou na constituição de doze novas empresas controladoras, que foram privatizadas em 29 de julho de 1998. Em nota oficial, o presidente da Anatel, Juarez Quadros do Nascimento, ressaltou que a migração do modelo de exploração caracterizado pelo monopólio estatal para um regime de abertura de mercado para a exploração privada em regime de competição se desenvolveu, e assim prospera, em um ambiente de surgimento de novas tecnologias, demanda por elevados investimentos e disputa entre as prestadoras.

“O modelo de concessão de telecomunicações implantado no país em 1998 trouxe resultados que refletem, atualmente, uma infraestrutura moderna e em contínua expansão. Os resultados positivos do modelo, em termos de uma evolução significativa dos investimentos, teve como fatores determinantes uma demanda suprimida por décadas, assim como o advento de novos serviços e, consequentemente, novas demanda para além da telefonia fixa, como a banda larga”, escreveu.

De acordo com dados da Anatel, a soma de telefonia fixa, móvel, TV por assinatura e banda larga fixa, ao final de julho de 2018, deverá corresponder algo em torno de 325 milhões de acessos a serviços de telecomunicações. Em julho de 1998, essa soma era 28 milhões de acessos.

“Ao se comemorar no dia de hoje 20 anos de privatização das telecomunicações, há que se adequar o modelo em vigor às novas exigências do mercado, sem esquecer que os atuais contratos de concessão, para a última revisão quinquenal, poderão ser alterados em 31 de dezembro de 2020. Assim, vinte e quatro meses antes das alterações possíveis, a Anatel poderá publicar, até 31 de dezembro de 2018, consulta pública com uma proposta de novos condicionamentos e de novas metas, se houver, para prestação do serviço no decorrer do período 2021/2025,” ressaltou Quadros.

* Com informações da Anatel

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
29/11/2018
27/11/2018
06/11/2018
01/11/2018
17/10/2018
05/10/2018
28/09/2018
26/09/2018
21/09/2018
31/08/2018
EDIÇÃO 26
nov-dez 2018 / jan 2019
Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
E muito mais...
VEJA MAIS EDIÇÕES


Copyright © 2018         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital