NOTÍCIAS
Um quarto dos pontos Wi-Fi estão propensos a ataques
Por: Redação Abranet - 19/12/2016

Um em cada quatro pontos de acesso de Wi-Fi tem alta propensão para ser invadido, de acordo com estatísticas da Kaspersky Lab, que analisou as informações de mais de 31 milhões de pontos de acesso de Wi-Fi em todo o mundo para chegar a esta conclusão. De acordo com a empresa, um quarto dos pontos de acesso (28%) verificados não é seguro, colocando os dados pessoais dos usuários em risco. Isto significa que todo o tráfego transmitido por essas redes, incluindo mensagens, senhas, documentos pessoais e outros dados, pode ser facilmente interceptado e usado por criminosos.

De acordo com a Kaspersky Security Network, 25% das redes Wi-Fi mundiais não usam qualquer tipo de criptografia ou proteção por senha — as informações transmitidas por elas ficam totalmente expostas e podem ser lidas por outras pessoas. Além disso, 3% dos pontos de acesso usam o protocolo WEP para criptografar os dados, um protocolo que, segundo a Kaspersky, não é confiável e pode ser decifrado em questão de minutos por ferramentas disponíveis de graça na Internet.

Os outros quase três quartos dos pontos de acesso Wi-Fi usam uma criptografia mais confiável, baseada na família de protocolos WPA (Wi-Fi Protected Access), diz a empresa de segurança. O empenho necessário para invadir essas redes depende das configurações definidas, incluindo a força da senha utilizada.

Entre os 20 países com maior porcentagem de redes Wi-Fi não criptografadas estão vários destinos turísticos populares, como Tailândia, França, Israel, EUA etc. Turistas estão entre os usuários mais vulneráveis, pois, por muitas vezes, o Wi-Fi mais próximo disponível é a única maneira que eles têm de se conectar.  

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
05/02/2018
02/02/2018
01/02/2018
25/01/2018
23/01/2018
19/01/2018
18/01/2018
16/01/2018
16/01/2018
12/01/2018
EDIÇÃO 23
dez 2017 - jan/fev 2018
Qual é a fórmula do sucesso? Boas práticas aplicadas por corporações bem-sucedidas sugerem um caminho a seguir. Entrevista com Tadao Takahashi. Discussão sobre a lei de proteção de dados avança. Futurecom: Mais conectividade, mais oportunidades.
VEJA MAIS EDIÇÕES


Copyright © 2017         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital