NOTÍCIAS
Internet Society: É urgente resolver questões de ordem social, econômica e legal na Internet das Coisas
Por: Da Redação - 17/05/2018

Com mais de 10 bilhões de dispositivos, aplicativos e serviços de Internet das Coisas em uso, a previsão é de que o número de dispositivos conectados ultrapasse os 38 bilhões em 2020. Por isso, é essencial garantir que governos e articuladores políticos adotem medidas adequadas em torno da segurança da IoT, pontua o relatório IoT Security for Policymakers, da Internet Society (ISOC), organização sem fins lucrativos dedicada a garantir o desenvolvimento aberto da Internet, durante a reunião da Cúpula do Consumidor do G20,realizada na Argentina.

O relatório aponta que o atual cenário desta tecnologia marca duas frentes de direitos e responsabilidades compartilhados. De um lado, os usuários de dispositivos inteligentes têm pouco ou nenhum conhecimento de segurança de IoT e, portanto, são menos exigentes em termos de segurança na compra e venda de um produto. Por outro, o desenvolvimento de segurança confiável é um processo lento e caro para os fabricantes, o que leva muitos deles a deixar a segurança em última estância.

Em muitos casos, acrescenta o estudo, há incerteza jurídica em torno da responsabilidade da segurança da IoT, o que dificulta a atribuição de responsabilidades ou compensação por danos. Da mesma forma, a IoT também apresenta desafios significativos no que tange à proteção da privacidade. O relatório da Internet Society descreve os problemas e desafios da segurança e propõe recomendações para a regulamentação da IoT. Embora muitos dos desafios ainda sejam técnicos, os mais urgentes são de ordem social, econômica e legal.

“A economia favorece a fragilidade da segurança. Pressões competitivas para lançamentos de mercado, assim como por produtos mais baratos, fazem com que muitos projetistas e fabricantes de sistemas de IoT, incluindo dispositivos, aplicativos e serviços, dediquem menos tempo e recursos à segurança. Cabe a todos nós – articuladores políticos, empresas, membros da comunidade técnica e da sociedade civil – garantir que o impacto da IoT seja positivo”, afirma Raúl Echeberría, vice-presidente de Engajamento Global da Internet Society.

Cinco fatores-chave na segurança da IoT são destacados no relatório da ISOC e devem ser considerados pelos governos e agentes reguladores:

A IoT é evolutiva e ainda não há um consenso de padrões internacionais de segurança;
   
IoT não são apenas dispositivos, mas software, sensores, plataformas, conectividade, serviços, armazenamento. Todas estas camadas devem estar seguras;
   
Os sistemas de IoT devem ser protegidos contra riscos para outras redes e usuários (segurança externa), bem como riscos para seus usuários e ativos (segurança interna);
   
Os sistemas de IoT vulneráveis ​​podem ser comprometidos de qualquer lugar e usados ​​para atacar qualquer pessoa;
   
Segurança é um processo contínuo. Os sistemas de IoT devem ser mantidos para permanecerem seguros.

 


 


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
23/05/2018
17/05/2018
20/03/2018
15/03/2018
02/03/2018
16/02/2018
31/01/2018
22/01/2018
18/01/2018
09/01/2018
EDIÇÃO 24
maio-julho 2018
A Convenção Abranet 2018 reuniu, na Bahia, cerca de cem empresas de internet. As discussões foram além do dia a dia e abordaram aspectos como planejamento, inovação e estratégia. E muito mais...
VEJA MAIS EDIÇÕES


Copyright © 2017         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital