NOTÍCIAS
Abranet reivindica ambiente regulatório favorável às PMEs em Inteligência Artificial
Por: Redação da Abranet - 13/06/2022

Em sua contribuição para a regulamentação sobre inteligência artificial, a Associação Brasileira de Internet (Abranet) sugeriu que o fomento à inovação seja um norte na estratégia e que sejam consideradas as micro, pequenas e médias empresas, criando um ambiente regulatório propício para que elas, que representam cerca de 99% dos negócios brasileiros, possam também desenvolver e utilizar tecnologias de IA.

“Sob uma perspectiva regulatória, a Abranet entende que a formulação de um marco regulatório de IA deve levar em consideração dois aspectos principais: a existência de princípios sólidos no ordenamento jurídico brasileiro já aplicáveis ao tema, de forma que eventuais novas disposições criadas devem estar em harmonia com a estrutura legal e regulatória vigente; e a criação de um ambiente regulatório propício à inovação, sobretudo considerando o desenvolvimento de tecnologias de IA por micro, pequenas e médias empresas, que representam cerca de 99% dos negócios brasileiros e 30% de tudo que é produzido no país  e, portanto, são atores fundamentais para posicionar o Brasil”, apontou.

No documento para a Comissão de Juristas, responsável por debater e elaborar marco normativo sobre IA, a Abranet também pediu uma definição clara e objetiva do conceito de inteligência artificial, sem que exista margem para dúvidas ou inseguranças jurídicas. “Nesse sentido, sugerimos que, tal qual vislumbrou-se na definição de IA adotada pela Comissão Europeia, todos os sistemas considerados como de IA sejam delimitados, incluindo sistemas de aprendizagem automática, sistemas baseados na lógica e sistemas baseados em métodos de pesquisa”, detalhou.

A Abranet — que representa empresas de diversos segmentos que desenvolvem atividades prestadas através da Internet e das tecnologias da informação e possui abrangência nacional — sugeriu ainda a realização de uma gradação de riscos casuística quanto aos impactos da inteligência artificial, de modo que cada atividade seja classificada de acordo com o risco que possui, prezando pela proporcionalidade e neutralidade do quadro regulamentar.

Pediu também que haja um plano estruturado de estipulação de políticas públicas integradas a nível nacional entre os diferentes entes para que a IA possa ser efetivamente utilizada como meio de desenvolvimento social e econômico ao país. Com relação à legislação, a Abranet pediu que seja considerada existência de princípios sólidos no ordenamento jurídico brasileiro já aplicáveis à IA, constantes no Marco Civil da Internet, na LGPD e no Plano Nacional de Internet das Coisas, de modo a evitar a duplicidade normativa, obrigações contraditórias e excesso de regulamentação. 

Ainda na contribuição, a Abranet solicitou que, tal qual a gradação de riscos, contenha uma divisão de custos relacionados à conformidade de IA setorial e casuística, de modo que estes sejam justamente distribuídos entre as IAs de baixo e alto risco, considerando o tamanho da empresa e as dependências institucionais que ela possa criar.

Pediu ainda que sejam avaliados, de forma essencial, os segredos comerciais, industriais e questões de propriedade intelectual envolvidas no desenvolvimento das tecnologias em si, inclusive para eventuais fiscalizações em torno de soluções de IA. 

A Abranet recomendou também a realização de estudo de impacto regulatório detalhado e o desenvolvimento de estratégias que busquem estruturar metas e princípios para garantir a inovação e tutelar direitos no contexto da IA.

A entidade destacou que, dentre os Projetos de Lei, o PL nº 21/2020 é o único a propor uma definição de IA, mas que há um principal ponto de tensão na definição, relacionado ao fato de que o PL deixa em aberto técnicas que podem eventualmente ser enquadradas no conceito de IA, além de apresentar conceito geral que não parece ser tão técnico.

“É importante, portanto, que o conceito de IA permita compreender, de forma mais delimitada, o que pode ser considerado uma IA. Sendo assim, sugerimos que tal qual observa-se na definição de IA adotada pela Comissão Europeia no âmbito do Regulamento de Inteligência Artificial da União Europeia”, reforça o documento. A Abranet conta com mais de 400 associadas atuando nas áreas de meios de pagamento, conectividade de internet, aplicações e conteúdos. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
23/11/2022
23/11/2022
22/11/2022
20/10/2022
20/10/2022
20/10/2022
28/09/2022
27/09/2022
22/09/2022
01/09/2022


Copyright © 2014 - 2022         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital