NOTÍCIAS
Miriam Wimmer: é um erro achar que a LGPD vai resolver todos os problemas
Por: Roberta Prescott - 17/11/2020

“O que significa falar de proteção de dados pessoais em uma sociedade que é tão profundamente mediada e entranhada pela tecnologia?”, questionou Miriam Wimmer, diretora na Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), ao começar sua fala no painel “A dimensão do direito à privacidade e aos dados pessoais na sociedade”, que ocorreu nesta terça-feira, 17/11, no 11º Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais.

“Quando a gente olha para a evolução histórica da disciplina vemos que as primeiras normas que se preocupavam com a constituição de grandes bases de dados centralizadas. As normas vêm evoluindo e se transformando; e o Brasil adota uma norma desse tipo em um momento que o cenário se encontra em uma mutação muito rapidamente”, pontuou, explicando que pensar em proteção de dados pessoais hoje requer pensar sobre as potencialidades que a tecnologia traz em termos de tratamento e processamento dos dados em um volume inédito. 

Com o pano de fundo tendo uma sociedade hiperconectada, com diversas esferas, tanto pública quanto privada, sendo movidas a dados, os rastros digitais ganham relevância e a privacidade deve ser foco. “Essa reflexão também tem de levar em conta que as tecnologias não são neutras”, destacou Wimmer, apontando o desequilíbrio de poder entre os indivíduos e as plataformas, além dos desafios de vieses explícitos e implícitos. 

Para ela, o entusiasmo na adoção da tecnologia tem de vir acompanhado da compreensão do impacto que a tecnologia tem em diversas esferas e da limitação de aspectos e instrumentos jurídicos.  “Às vezes existe expectativa de que a LGPD vai responder a todos os problemas, de questões concorrenciais a fake News, mas essa é uma visão merece ser colocada em perspectiva, uma vez que LGPD se propõe a proteger os dados do cidadão”, afirmou. 

Falando sobre a ANPD, Miriam Wimmer afirmou ser um desafio grande tentar aceitar processo de mudança de cultura e envolver engajamento plural considerando a complexidade das normas. “A missão da ANPD é zelar pela proteção dos dados pessoais tendo em vista a dimensão deles.”  Em sua visão, a LGPD significa uma segurança jurídica para, inclusive, inovação tecnologia e viabilização de novos modelos de negócios baseados em dados.  

Para ela, é preciso reconhecer a ideia de que o indivíduo seja protagonista e manter controle sobre a forma como seus dados pessoais são tratados. A sociedade em geral, destacou, está vivenciando uma mudança de cultura. “Há uma modernização e ampliação da concepção da privacidade, que deixa de ser concebida apenas na condição de indivíduo para reconhecer seus impactos e sua dimensão coletiva”, finalizou. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
20/11/2020
18/11/2020
17/11/2020
17/11/2020
17/11/2020
12/11/2020
26/10/2020
21/10/2020
20/10/2020
19/10/2020


Copyright © 2014-2020         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital