Publicada em: 31/08/2020 às 20:55
Notícias


Operação Attack Mestre: Polícia pede ajuda às empresas de Internet para fechar o cerco aos hackers
Roberta Prescott

As empresas provedoras de serviços de internet que identificarem oscilações e problemas em suas redes suspeitas de serem criminosas devem procurar imediatamente os órgãos responsáveis, como delegacias de polícia, especialmente, as que fazem acompanhamento de crimes cibernéticos.

Em entrevista à Abranet, nesta segunda-feira, 31/08, o delegado de Polícia Civil Marcelo Sansão, que, hoje, dirige a DRACO - Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado da Polícia Civil da Bahia, destacou a importância de os provedores buscarem ajuda especializada e registrarem a ocorrência. 

“Tem de ter cautela e não partir para a negociação ou pagamento de resgate”, ressaltou Sansão, acrescentando que é necessário contar com apoio profissional dos órgãos competentes para se estabelecer a negociação. “Se houver a capitalização, fica a intenção da reiteração do crime”, explicou. 

Nessa segunda-feira (31/08), um suspeito procurado pelas Polícias Civis de Goiás e de Tocantins em decorrência da operação Attack Mestre foi capturado por equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Bahia. O foragido da Justiça estava escondido em uma pousada, na capital baiana.

Com mandado de prisão solicitado pela Delegacia Estadual de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DERCC/GO) e pela Divisão Especializada de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC/TO), o indivíduo era alvo da operação Attack Mestre, que desarticulou uma organização criminosa que praticava extorsão após bloqueio de rede por meio da Negação de Serviço Distribuído (DDoS) em desfavor de provedores de conexão de Internet.

De acordo com o delegado Sansão, após a divulgação da prisão diversas vítimas procuraram os órgãos e os casos serão investigados. “Acreditamos que deve haver vítimas por todo o País”, disse. Sabendo da possibilidade do criminoso estar escondido na capital baiana, equipes da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) de Salvador iniciaram ações de inteligência. Após localizarem um veículo modelo Frontier, os policiais civis montaram uma campana e alcançaram o criminoso, em uma pousada, no bairro de Stella Maris.

O homem foi apresentado na sede do Draco, no bairro da Pituba e, após depoimentos e exames será encaminhado para a sede da Polinter, onde aguardará transferência para o Estado de Goiás


Powered by Publique!