NOTÍCIAS
Redes neutras: a competitividade está além da infraestrutura
Por: Roberta Prescott - 10/08/2022

Assim como ocorreu na telefonia móvel, há alguns anos, o mercado de internet fixa pode estar prestes a passar por uma revolução, tal como ocorreu com as operadoras, quando venderam suas torres. A entrada, mais fortemente, no mercado das companhias de infraestrutura de fibra pode impor uma mudança de como as empresas de internet se posicionam frente ao cliente e competem entre si. Se — ou quando — a presença da rede não for mais um diferencial, o escopo do trabalho dos provedores de internet ficará centrado, principalmente, no atendimento ao cliente e no desenvolvimento de novas ofertas, indo além da entrega pura e simples de acesso à internet. 

Especialistas ouvidos para a reportagem de capa da edição 38 da revista Abranet, contudo, apontam que o caminho é longo até as chamadas redes neutras se expandirem a ponto de terem uma capilaridade suficiente para levar os ISPs a reverem suas estratégias. Isso porque um dos diferenciais dos pequenos provedores é instalar redes, justamente, nos locais menos atraentes às grandes operadoras, levando acesso à internet aos rincões do Brasil, e sendo, muitas vezes, as únicas empresas a prover este tipo de serviço.

No entanto, em muitas municipalidades, os provedores de internet podem se deparar com esses novos fornecedores. E isso pode representar tanto uma alternativa interessante, inclusive de capitalizar vendendo suas redes, como um aumento de concorrência, já que os operadores de redes neutras facilitam o ingresso de novos players, pois derrubam uma grande barreira de entrada, que é o investimento em construção de infraestrutura. Diante dessa  encruzilhada, qual caminho seguir? 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
23/09/2022
22/09/2022
29/08/2022
18/08/2022
10/08/2022
22/07/2022
14/07/2022
14/07/2022
27/06/2022
14/06/2022


Copyright © 2014 - 2022         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital